PNEUMONIA

O que é pneumonia?

Pneumonia é uma infecção de um ou ambos os pulmões, a qual é usualmente causada por bactérias, vírus ou fungos. Antes da descoberta dos antibióticos, 1/3 das pessoas com pneumonia morriam. Atualmente isto ocorre em < 5%. A cada ano, dois milhões de casos de pneumonia acontecem no Brasil, com 33.000 mortes.

Como se “pega” pneumonia?

Em alguns casos pela inalação de gotículas contendo o germe que pode causar a pneumonia. Estas pequenas gotas vão para o ar quando uma pessoa infectada com estes germes tosse ou espirra. Na maioria dos casos, a pneumonia é causada quando bactérias e vírus que colonizam a boca, garganta, ou o nariz são aspirados para os pulmões. Durante o sono, é muito comum que as pessoas aspirem secreções da boca, garganta, ou nariz. Normalmente, as defesas do organismo, como a tosse e o sistema imunológico, irão impedir que os germes aspirados causem pneumonia. Contudo, se a pessoa está em uma condição enfraquecida por uma outra doença, ou o material aspirado contém muitas bactérias, a pneumonia pode surgir. Pessoas com infecções virais recentes, doenças cardíacas, e problemas de deglutição, bem como alcoólatras, usuários de drogas e aqueles que sofreram uma convulsão ou um ataque vascular cerebral têm maior risco para desenvolver pneumonia do que a população geral.

Uma vez que os germes entram nos pulmões, eles usualmente se instalam nos alvéolos, onde crescem rapidamente. Esta área do pulmão então se torna cheia de líquido e pus, à medida que o corpo tenta lutar contra a infecção.

A pneumonia é contagiosa?

Depende da causa da pneumonia. As pneumonias bacterianas em geral não são contagiosas.

Quais são os sintomas de pneumonia?

A maioria das pessoas que desenvolvem pneumonia inicialmente tem sintomas de um resfriado, o qual é então seguido por febre alta, calafrios e uma tosse com produção de escarro. O escarro é branco e às vezes sanguinolento. Os pacientes podem ter falta de ar. Dor no tórax pode se desenvolver se a pleura for alcançada pela infecção. A dor piora com a respiração. Em outros casos de pneumonia, o começo dos sintomas é lento. Tosse, dor de cabeça, e dores musculares podem ser os únicos sintomas. Em algumas pessoas com pneumonia, a tosse não é um sintoma maior, porque a infecção está localizada em áreas do pulmão longe dos brônquios maiores. Pessoas idosas podem ter poucos sintomas de pneumonia, que pode se manifestar apenas por queda do estado geral e letargia.

Como é feito o diagnóstico de pneumonia?

A pneumonia é suspeitada pelos sintomas acima descritos. A suspeita é reforçada se os médicos escutam sons respiratórios anormais, chamados estertores, através do estetoscópio, em uma ou mais regiões do pulmão. Os estertores nem sempre estão presentes.

O diagnóstico de pneumonia é confirmado pela radiografia de tórax.

No consultório nenhum outro exame será necessário se não houver sinais de que a pneumonia é grave.

Em casos mais graves, exames de sangue são necessários.

Quando a pneumonia é grave?

A pneumonia é considerada grave, com necessidade de internação, quando:

Quais as causas mais comuns na pneumonia?

A causa mais comum de pneumonia por bactérias é o Streptococcus pneumoniae (pneumococo), uma bactéria redonda. Uma vacina é disponível contra o pneumococo, e é recomendada em idosos, pessoas com diabetes, doença renal, pulmonar ou cardíaca crônica, em alcoolistas e naquelas pessoas que tiveram o baço removido por algum motivo.

O Haemophilus influenzae (não confundir com o vírus da influenza, ou gripe), é uma bactéria que freqüentemente causa pneumonia em pessoas que sofrem de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) ou alcoolismo.

Mycoplasma é uma bactéria que causa muitas pneumonias em pessoas mais jovens, podendo acontecer em surtos periódicos.

A doença dos Legionários é causada pela bactéria Legionella pneumoniae – este nome foi dado após seu isolamento em um surto que ocorreu em um encontro de centenas de pessoas em um hotel norte-americano pertencentes à Legião Americana. A Legionella é freqüentemente encontrada em fontes de água contaminada e condicionadores de ar. É uma infecção potencialmente fatal. Homens idosos, fumantes, e pessoas cujo sistema imunológico está afetado têm maior risco de desenvolver pneumonia por Legionella.

Pneumonias virais não respondem aos antibióticos. Estas pneumonias se resolvem com o tempo, pelas próprias defesas do organismo. É importante ter certeza que uma pneumonia bacteriana não se desenvolve secundariamente. Se isto ocorre, então a pneumonia bacteriana é tratada com antibióticos apropriados. Bactérias normalmente encontradas na flora intestinal (Enterobactérias) podem se instalar na garganta de pessoas com baixas defesas (alcoolistas, diabéticos, portadores de câncer, etc) e depois causarem pneumonia por aspiração. Anaeróbios, bactérias que vivem na boca e se multiplicam em más condições dentárias, ou em abscessos de gengivas, podem ser aspiradas para os pulmões, e causar pneumonias arrastadas. Infecções por diversos fungos podem levar a pneumonia. Não são freqüentes.

O que é pneumonia atípica?

As pneumonias eram antigamente divididas em típicas e atípicas. Eram consideradas típicas aquelas que surgiam de repente, com febre alta, calafrios, dor para respirar e escarros com sangue. As pneumonias atípicas eram aquelas de evolução lenta, parecida com gripe, com dores musculares, tosse seca e sem dor para respirar. As pneumonias típicas eram atribuídas às bactérias e as atípicas a vírus ou Mycoplasma. Diversos estudos mostraram que esta implicação da causa não se sustenta.

Como a pneumonia é tratada?

Pneumonias tratadas no domicílio recebem antibióticos dados por boca; raramente se justifica o uso de antibióticos injetáveis. O uso de penicilina intra-muscular foi abandonado, existem antibióticos mais potentes dados 1 a 2 vezes ao dia por via oral.

Os antibióticos mais usados para tratamento domiciliar das pneumonias são a amoxicilina, com ou sem ácido clavulânico, as quinolonas (levofloxacina, moxifloxacina) e os macrolídeos (azitromicina, claritromicina).

Pacientes internados são tratados com antibióticos de amplo espectro para cobrir as diversas causas.

O que fazer quando a pneumonia não responde ao tratamento?

Várias possibilidades existem nesta situação. O germe responsável não está sendo tratado com o antibiótico correto, ou é resistente ao tratamento; podem existir complicações da pneumonia, como formação de líquido na pleura, que precisa ser removido; diversas doenças pulmonares podem imitar pneumonias.

O caso deve ser reavaliado com cuidado. Tomografia de tórax é em geral solicitada nesta fase (não há indicação em pneumonia comum), bem como uma broncoscopia.

A broncoscopia é um procedimento no qual um tubo fino, flexível, com uma luz que permite a visão, é inserido pelo nariz ou pela boca depois da aplicação local de um anestésico. As passagens respiratórias podem ser examinadas diretamente pelo médico, e material da parte infectada do pulmão pode ser obtida.

Conclusões:

Pneumonia pode ser uma infecção grave e com risco de vida. Isto é especialmente verdadeiro em idosos, crianças, e naqueles que outros problemas médicos sérios, tais como DPOC, doença cardíaca, diabetes e certos tipos de câncer. Felizmente, com a descoberta de antibióticos potentes, a maioria dos casos de pneumonia é tratada com sucesso, em casa, com antibióticos orais, sem necessidade de internação.

<< voltar