TUBERCULOSE

O que é tuberculose?

A tuberculose (Tb) descreve uma doença infecciosa causada pelo Mycobacterium tuberculosis. Os médicos na Grécia antiga chamavam a doença de “tísica” devido ao acentuado emagrecimento. Durante os séculos 17 e 18 a tuberculose era a causa de até 25% de todas as mortes na Europa (“peste branca”).

Muitas pessoas famosas tiveram tuberculose, como Chopin, Goethe, Paganini, Gauguin, Kafka, George Orwell, Nelson Mandela, Manoel Bandeira e Noel Rosa.

Robert Koch isolou o bacilo da tuberculose em 1882 e estabeleceu a tuberculose como uma doença infecciosa. No século 19 e até a metade do século 20 os pacientes eram isolados em sanatórios e recebiam tratamentos destinados a fechar as cavidades pulmonares, na tentativa de matar os bacilos da tuberculose. A estreptomicina, o primeiro antibiótico eficaz contra a tuberculose, foi introduzido em 1946, e a isoniazida, tornou-se disponível em 1952. O M. tuberculosis é uma bactéria em forma de bastonete, de crescimento lento. A parede celular do bacilo é rica em ácido. A parede absorve um determinado tipo de corante e mantém uma cor vermelha, a despeito de tentativas de descoloração, daí o nome de bacilo álcool-ácido-resistente (BAAR).

A tuberculose é comum?

A tuberculose continua a matar milhões de pessoas a cada ano ao redor do mundo. Nos países industrializados a tuberculose declinou ao longo do século 20, especialmente depois da disponibilidade de tratamento nos anos 50. Porém o declínio começou a estabilizar nos anos 80, tendo até elevação em certos países. Em 1993, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou a tuberculose uma emergência global. Estima-se que entre 2002 e 2020, aproximadamente 1 bilhão de pessoas serão infectadas pelo bacilo da tuberculose, mais de 150 milhões se tornarão doentes, e 36 milhões irão morrer por tuberculose, se o controle não for melhorado.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil ocupa o 14º lugar entre os 23 países responsáveis por 80% do total de casos de tuberculose no mundo. Estima-se que existam 50 milhões de brasileiros infectados pelo bacilo da tuberculose; a cada ano surgem 85000 casos novos da doença havendo 6000 óbitos.

O ressurgimento da tuberculose é explicado por diversos fatores:

Surgimento do HIV

Adesão pobre ao tratamento e programas de controle da doença inadequados, levando ao surgimento de tuberculose resistente.

Movimento global em massa de pessoas facilitando a disseminação da doença

A grande prevalência de portadores do bacilo da tuberculose. A tuberculose é a infecção mais comum no mundo. Quase 1/3 da população mundial está infectada com tuberculose.

Embora considerada uma doença que aflige predominantemente as classes sociais menos favorecidas, atinge também as demais classes, não só pela ocorrência da AIDS, como também pela presença de outras condições associadas que reduzem as defesas do organismo.

Como se pega tuberculose?

A tuberculose é transmitida de pessoa a pessoa através das gotículas. Quando alguém com tuberculose tosse, espirra, ou fala, finas gotículas de muco ou saliva são expelidos para o ar, as quais podem ser inaladas por outra pessoa. Uma vez que os bacilos da tuberculose alcançam os alvéolos, uma célula de defesa chamada macrófago engolfe o bacilo da tuberculose.
A bactéria então é disseminada para o sistema linfático e para a corrente sanguínea e se espalha para outros órgãos. A bactéria então se multiplica em órgãos que tem altas pressões de oxigênio, tais como os lobos superiores dos pulmões, os rins, medula óssea, e meninges – as membranas que cobrem o cérebro e a medula espinhal.
Quando a bactéria causa doença clinicamente detectável, o indivíduo tem tuberculose. Pessoas que inalaram a bactéria da tuberculose, mas nas quais a doença é controlada são chamados de infectados. Eles não têm sintomas, tem teste de PPD positivo, embora não transmitam a doença para outras pessoas.

Fatores de risco para tuberculose incluem os seguintes:

Quais são os sintomas da tuberculose?

Pode não haver sintomas até que a doença seja avançada. Os sintomas clássicos da tuberculose são:

Estes sintomas podem, entretanto, ocorrer em outras doenças. Apenas 10% das pessoas infectadas com o bacilo da tuberculose desenvolvem tuberculose-doença.

Muitos daqueles que sofrem de tuberculose desenvolvem a doença nos primeiros poucos anos após a infecção, mas o bacilo pode ficar dormente no corpo por décadas.

A maioria das infecções iniciais não resulta em sintomas, porém às vezes as pessoas desenvolvem febre, tosse seca e alterações na radiografia. Esta é chamada tuberculose primária.

A tuberculose pulmonar freqüentemente desaparece, mas em 50-60% dos casos a doença volta. Pleurite tuberculosa pode ocorrer em 10% das pessoas que tem a tuberculose pulmonar evidente. A tuberculose pleural ocorre pela ruptura de uma pequena área doente no espaço pleural (ver pleurisia). Estas pessoas têm tosse seca, dor torácica e febre, trazendo confusão com pneumonia. A doença pode desaparecer e voltar mais tarde, em geral nos pulmões. Em uma minoria de pessoas com sistema imunológico enfraquecido, o bacilo da tuberculose pode se espalhar através do sangue para várias partes do corpo. Esta forma de tuberculose causa pequenos nódulos, semelhantes à pequenas sementes (não de milho), daí o nome de tuberculose miliar. Os sintomas são febre, fraqueza e perda de peso. Tosse e dificuldade para respirar são menos comuns. Geralmente, a reativação da tuberculose dormente ocorre na parte superior dos pulmões. O sintoma mais freqüente é a tosse, com ou sem sangue. Os outros sintomas são os clássicos da tuberculose.

Em torno de 15% das pessoas desenvolvem tuberculose em outro órgão que não os pulmões. Os locais mais comuns incluem os seguintes:

Quando procurar um médico?

Se alguém de sua família ou de contato próximo está com tuberculose ativa, você deve procurar um médico e fazer testes para tuberculose.

O tempo de contato perigoso é antes do tratamento. Uma vez iniciado o tratamento com medicamentos, a pessoa doente se torna não contagiosa dentro de poucas semanas. Se você desenvolver quaisquer efeitos colaterais das medicações – tais como coceira pelo corpo, mudança na cor da pele, fadiga excessiva, vômitos, procure seu médico imediatamente.

Como é feito o diagnóstico da tuberculose?

Em geral poucos exames são necessários:

Radiografia de tórax – o teste diagnóstico mais comum que leva à suspeita é a radiografia de tórax. Na tuberculose primária a radiografia irá mostrar anormalidades nos campos médios e inferiores dos pulmões e aumento dos gânglios linfáticos. Na tuberculose reativada, em geral existem infiltrado nos lobos superiores dos pulmões. A tuberculose miliar exibe minúsculos nódulos difusos.

PPD – este teste ajuda a identificar pessoas infectadas com o bacilo da tuberculose, mas que não tem sintomas. O teste também é chamado de teste de Mantoux. Proteínas purificadas derivadas (PPD) do bacilo são injetadas na pele do braço. Se surgir um “galo”, maior que 5 mm no local após 48 horas da injeção, o teste é considerado positivo. Existem, entretanto testes falso-positivos e falso-negativos.

Exame de escarro: o teste de escarro para pesquisa de bacilos ácido-resistentes (pesquisa de BAAR), é o teste que confirma o diagnóstico de tuberculose pulmonar. O escarro é também cultivado, o resultado podendo demorar algumas semanas. Na cultura o bacilo é tipado, confirmando-se que se trata do M. tuberculosis, já que outros bacilos ácido-resistentes raramente podem causar uma condição semelhante. Além disso, a sensibilidade aos antibióticos é testada.

Como é feito o tratamento?

Atualmente, os médicos tratam a maioria das pessoas com tuberculose fora do hospital. Foi-se o tempo de ir para as montanhas para longos períodos de repouso na cama. Os médicos prescrevem vários medicamentos especiais (em geral três), que devem ser tomados por 6-9 meses. O tratamento é demorado porque os bacilos da tuberculose crescem muito lentamente e, infelizmente, também morrem muito lentamente. No tratamento são usados vários medicamentos para reduzir a chance de surgimento de bactérias resistentes. A causa mais comum de falha no tratamento é a falta de adesão das pessoas ao uso regular da medicação. Isto pode levar ao surgimento de germes resistentes. Você deve manter o uso regular das medicações mesmo que esteja sentindo-se melhor. No Brasil e em outros países a tuberculose é uma doença que deve ser notificada para um órgão de saúde; você será encaminhado para um Posto de Saúde, no qual a medicação será fornecida gratuitamente e você será acompanhada por uma equipe de saúde.

Pessoas de seu contato e familiares serão chamados para realização de radiografia de tórax e PPD, para investigar possíveis contágios ou mesmo tuberculose doença.

O que fazer se houve contágio?

O tratamento é feito para matar os bacilos dormentes, mas que um dia poderão tornar-se ativos e causar doença. O tratamento é feito com um medicamento diário, chamado isoniazida, que deve ser tomado por 6 meses. Não há risco de contágio em pessoas apenas com PPD positivo.

A tuberculose pode ser prevenida?

A vacina da tuberculose, conhecida como BCG, pode prevenir a disseminação da tuberculose e a meningite tuberculosa em crianças, mas a vacina não necessariamente protege contra a tuberculose pulmonar.

Deve o paciente com tuberculose ser isolado?

A doença é transmitida por gotículas e, portanto não se devem separar objetos especiais para uso exclusivo do portador de tuberculose, como pratos, copos e talheres.

Evite tossir próximo às pessoas, e sempre use um lenço descartável para proteger a boca durante a tosse. Após poucas semanas de tratamento, o doente com tuberculose não é mais contagioso e pode retomar seu trabalho normalmente, conviver com a família, e levar uma vida normal. Contudo, você deve fazer uso regular da medicação para assegurar a cura e impedir que outras pessoas se tornem infectadas. Com o tratamento, sua chance de plena recuperação é muito boa. Sem tratamento, a doença irá progredir e poderá levar à incapacidade e morte.

<< voltar